Novidades do Blog

Por que se preocupar que o transporte de mercadorias seja feito na temperatura ideal?

Frigo King, há 3 meses
Por que se preocupar que o transporte de mercadorias seja feito na temperatura ideal?

O transporte de cargas, principalmente quando falamos de alimentos, deve ser programado para atender às particularidades da mesma. Carnes, por exemplo, são produtos perecíveis que dependem desse cuidado para que mantenham sua qualidade e cheguem seguras na mesa do consumidor final. Além disso, é essa responsabilidade no transporte da carne que evita que elas sejam contaminadas por micro-organismos que venham a inviabilizar o seu consumo.

Esse cuidado, no entanto, não é exclusivo com as carnes – e diferentes mercadorias exigem também diferentes temperaturas para que sejam transportadas com segurança e sem deixar a qualidade de lado.

Temperatura no transporte de cargas não é brincadeira, viu?

O controle da temperatura e condições para o transporte das cargas é criteriosamente definido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O órgão nacional é o responsável por controlar, regular e fiscalizar se os critérios estão sendo adotados corretamente, especialmente no trânsito de cargas perecíveis.

De acordo com a Anvisa, são três as variações de temperatura para transporte de cargas. São eles:


Alimentos congelados: para alimentos e carnes congeladas a temperatura deve ser de -18 graus, com tolerância de até -15 graus;


Alimentos perecíveis: os perecíveis exigem resfriamento de até 10 graus, sendo a média entre 5 a 6 graus;


Alimentos frescos: alimentos frescos, por sua vez, devem ser transportados com refrigeração de 4 graus, com tolerância máxima de 7 graus.


Há ainda outros tipos de produtos, como é o caso de medicamentos, por exemplo, que devem ser transportados em temperaturas específicas. Neste sentido, vale destacarmos que em todos os equipamentos da Frigo King há possibilidade de programar a temperatura da carga a depender do que é especificado pela fabricante na rotulagem.

Além disso, no verão, quando as temperaturas da estrada podem chegar ou até ultrapassar 40 graus, há indicação de que seja realizado o processo de pré-resfriamento, evitando que o ar de fora do caminhão entre em contato com a carga transportada. Mais uma vez a manutenção dos equipamentos também se torna fundamental para evitar qualquer tipo de frustração no percurso.

Agora você já conhece as principais temperaturas exigidas para o transporte de cargas e os motivos para nos preocuparmos com esse assunto.

Gostou desse artigo? Então não deixe de conferir mais materiais como esse em nosso blog!