Equipamentos de refrigeração

Conheça os desafios envolvidos no transporte de cargas refrigeradas e como superá-los

Frigo King, há 2 anos
Conheça os desafios envolvidos no transporte de cargas refrigeradas e como superá-los

Não é nenhuma novidade que o trabalho de transporte de cargas refrigeradas é grande e repleto de uma variedade de desafios. Afinal, lidar com produtos desse tipo envolve não apenas um complexo planejamento logístico, mas também um alinhamento de fatores como oferta, demanda e, claro, sazonalidade da agricultura. É uma verdadeira corrida contra o relógio para processar todas essas mercadorias.\r\n\r\nO problema é que, mesmo com todo o planejamento do mundo, nem sempre as coisas correm conforme o desejado, especialmente quando consideramos fatores climáticos e rodoviários, como ondas de calor extremas ou tráfego intenso durante o transporte. Nesse contexto, contar com boas ferramentas para a manutenção e controle da temperatura pode fazer toda a diferença para a rotina do transportador.\r\n\r\nEntão que tal aproveitar este artigo para conhecer melhor as particularidades e desafios envolvidos no transporte de cargas refrigeradas? Você vai ver como a qualidade do seu equipamento de refrigeração e do baú refrigerado podem contribuir para a segurança desses perecíveis e de que forma tudo isso ajuda a aumentar a percepção de valor dos produtos transportados!\r\n

A importância de boas ferramentas para o transporte de cargas refrigeradas

\r\nQuem trabalha com logística sabe que a malha rodoviária do Brasil é enorme. Não é à toa que ela absorve mais de 65% do transporte de cargas em todo o país, segundo dados do Anuário CNT do transporte 2019. Números que, na prática, são refletidos em mais de 100 milhões de veículos de transporte de carga circulando em todo o território nacional.\r\n\r\nE é entre esses milhões de automóveis que os caminhões e outros veículos refrigerados ganham cada vez mais destaque no transporte de cargas refrigeradas, resfriadas e congeladas. Afinal, o controle da temperatura já mostrou que é uma solução extremamente eficiente na hora de preservar a qualidade e as propriedades nutritivas de alimentos perecíveis.\r\n\r\nParalelamente a números tão positivos, contudo, é necessário ressaltar que uma porcentagem considerável dos danos e desperdícios de alimentos ainda acontece durante o manuseio e o transporte de cargas refrigeradas, totalizando mais de 40% das perdas, como indica a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).\r\n\r\nEm grande parte, isso acontece devido à dificuldade das transportadoras manterem um registro constante, atualizado e controlado da temperatura de suas cargas. A boa notícia é que o mercado já conta com soluções em refrigeração que ajudam a descomplicar a rotina do transportador, com equipamentos cada vez mais poderosos, conectados e confiáveis!\r\n\r\nHoje, o transportador já é capaz de controlar e monitorar a temperatura do baú refrigerado direto da cabine do caminhão, garantindo mais confiabilidade para o processo logístico. Além disso, funções como stand-by elétrico, degelo e regulagem da temperatura podem ser ativadas de forma remota, tudo registrado em bancos de dados seguros e de fácil acesso.\r\n\r\nAqui na

Frigo King

, por exemplo, os equipamentos da

linha Apollo

são desenvolvidos para oferecer o máximo em performance e segurança no transporte de perecíveis. Equipados com data logger de série, os equipamentos contam ainda com compressor acoplado ao motor do caminhão e opção de alimentação com energia elétrica trifásica, tudo para garantir a versatilidade operacional que o seu negócio precisa!\r\n\r\n[cta]\r\n

Controlar cargas perecíveis é lei

\r\nVale lembrar que o controle criterioso das condições e da temperatura da carga não é nenhum luxo: é lei! Isso porque a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é responsável por regular, verificar e fiscalizar esses critérios, inclusive criando normas e manuais de boas práticas para o trânsito de cargas perecíveis.\r\n\r\nDe acordo com a agência, esse tipo de carga precisa de máximo cuidado no manuseio desde o momento do embarque, visto que qualquer tipo de impureza pode comprometer a qualidade do produto final. Além disso, para que a solução chegue em boas condições, ela não pode sofrer interferência externa. É por isso que a Anvisa determina que o veículo só pode ser aberto em seu destino final, no momento em que será feita a primeira entrega.\r\n\r\nEsse é um dos problemas mais comuns durante o transporte de alimentos perecíveis em longas distâncias, em que qualquer exposição, por menor que seja, é capaz de comprometer lotes inteiros. É por isso que, no

manual de boas práticas da Anvisa

, determinam-se três variações de temperatura para o transporte. São elas:\r\n\r\n

• Alimentos frescos:

refrigeração ao redor de 4 oC, com tolerância até 7 oC;\r\n

• Alimentos perecíveis:

resfriamento ao redor de 6 oC, não ultrapassando 10 oC ou conforme especificação do fabricante expressa na rotulagem;\r\n

• Alimentos congelados:

congelamento a -18 oC, com tolerância até -15 oC.\r\n\r\nE então, ficou mais fácil entender os desafios envolvidos no transporte de cargas refrigeradas? Esperamos que este artigo ajude você a conhecer melhor as ferramentas que podem contribuir cada vez mais para o controle da temperatura e a importância de investir em um bom equipamento de refrigeração para a sua rotina!\r\n\r\nAh, e se você ficou com alguma dúvida ou quer compartilhar suas experiências com a gente, aproveite para deixar um comentário aqui no blog ou

entrar em contato

com a nossa equipe! Lembre-se: estamos sempre à disposição!