top of page

Na contramão da crise, setor de logística não para de contratar


Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Continua (PNAD Contínua) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) o primeiro trimestre deste ano a taxa de desocupação chegou a 14,7%, batendo o recorde com 14,805 milhões de desempregados. Na contramão da crise, o setor de logística vem crescendo em meio à onda de desemprego, com aumento de 37% em vagas nos primeiros cinco meses do ano segundo o Banco Nacional de Empregos (BNE).


Cerca de 13.544 oportunidades foram abertas entre janeiro e maio no Brasil, ou seja, uma média mensal de 2.708 vagas. Em 2020, o número de vagas abertas foi de 9.859 no mesmo período. Segundo o gerente de negócios do BNE, José Tortato, esse aumento tem relação direta com as consequências da pandemia.


“A pandemia provocou uma mudança na cultura de consumo das pessoas. Muita gente começou a consumir mais de casa, utilizando e-commerce, utilizando delivery, e isso influenciou o aumento na quantidade de vagas em logística”, falou.


No início da pandemia em 2020, o setor já apontava crescimento mesmo com restrições mais severas para conter o avanço da Covid-19. Analisando os primeiros cinco meses de 2019 e 2020, houve um aumento de 10% na abertura de postos de trabalho, em 2019 cerca de 8.666 vagas abertas e 9.859 em 2020.


Essas vagas, segundo o gerente de negócios do BNE, têm uma tendência a continuarem crescendo, com uma projeção de 20 mil novas vagas na área de logística até o final do ano. As empresas do setor oferecem vagas para profissões específicas voltadas para o operacional.


“Em geral, as empresas estão buscando profissionais da categoria operacional da área de logística, profissionais como motorista, estoquista, operador de empilhadeira, entregador, motorista de caminhão, auxiliar de almoxarifado etc. No geral são profissões voltadas para a área operacional do setor”, explicou.


Agronegócio

Além das novas formas de consumo como o as vendas online e delivery, o economista chefe da integral Group, Daniel Miraglia afirma, que há outro fator que deve ser levado em consideração para o aumento das vagas no setor de logística: o agronegócio. “O setor agrícola no Brasi vem sendo responsável por grande parte do crescimento econômico do país e depende muito do setor de logística”, disse.


Turbinado pela pandemia, o setor de logística já vinha em crescimento devido em razão do fenômeno da digitalização, observa a economista chefe Latin America da Coface, Patrícia Krause. “Acredito que deva continuar crescendo, não só porque ainda estamos em pandemia, mas mesmo passando esse período, a digitalização é algo que aconteceria naturalmente e esse processo foi apenas acelerado pela crise”, disse.


* Estagiário sob supervisão de Carlos Alexandre de Souza 

Fonte da notícia: Correio Braziliense

Comments


bottom of page