top of page

Entenda a importância de seguir a legislação para transporte refrigerado de cargas


Todo mundo sabe que os alimentos que consumimos diariamente percorrem um longo caminho antes de chegarem à nossa mesa. Nem todo mundo sabe, contudo, que os cuidados com a logística dispostos na legislação para transporte refrigerado são essenciais para garantir a qualidade desses produtos, especialmente no caso de cargas de alimentos perecíveis, já que elas dependem de temperaturas e condições específicas. Nesse contexto, seguir as normas e recomendações de associações como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é imprescindível para evitar desperdícios e, consequentemente, prejuízos. É por isso que, aqui no Brasil, a Anvisa regula, verifica e fiscaliza a qualidade e a segurança de todos os tipos de produtos alimentícios, além de desenvolver manuais de logística e de boas práticas para as transportadoras! Todos esses cuidados e regras estabelecidos pela agência têm como objetivo minimizar os perigos à saúde da população pelo consumo de alimentos contaminados. Pensando nisso, preparamos algumas dicas importantes para ajudar você a manter suas cargas e seus equipamentos em dia e garantir a excelência de suas mercadorias desde a produção até o consumo!


Como funciona a legislação para transporte refrigerado

Embora o transporte refrigerado também seja utilizado para a logística de medicamentos, de flores e, em alguns casos, até mesmo de obras de arte, não é exagero reconhecer que a maior fatia desse segmento ainda atua no setor de alimentos perecíveis, que são todos aqueles alteráveis ou não estáveis à temperatura ambiente.Por se deteriorarem mais fácil e rapidamente, o transporte desses produtos possui regras mais rigorosas e sistemáticas e cada tipo de carga tem diferentes especificações quanto à temperatura, iluminação, ventilação e armazenamento no baú refrigerado durante o período de transporte. Essas regras são aplicadas de acordo com a categoria da carga, que pode ser refrigerada, congelada ou supercongelada. Confira as definições:


É com base nessa classificação que a Anvisa determina as boas práticas para os alimentos perecíveis, ditando se eles devem ser transportados frescos, refrigerados ou congelados, conforme as particularidades de cada segmento, bem como os regulamentos sanitários em vigor.

Medicamentos e materiais biológicos: conheça as normas

Para o transporte de medicamentos e materiais biológicos, a Anvisa também estabelece alguns pré-requisitos que a empresa transportadora precisa cumprir. Dentre eles, vale destacar a necessidade de um certificado de Autorização de Funcionamento de Empresa (AFE).Até pouco tempo, outra obrigatoriedade prevista pela agência era a assinatura de um responsável técnico da empresa detentora do registro do medicamento para o transporte. Com mudanças feitas por meio da Resolução de Diretoria Colegiada (RDC) 208/2018, essa etapa foi simplificada, agilizando a autorização para transporte após sua liberação na Receita Federal. O mesmo vale para as chamadas cargas biológicas, como órgãos do corpo humano e sangue para doação. Em casos assim, a Anvisa possui um manual específico para o transporte de mercadorias de categoria biológica, que visa orientar os transportadores e receptores dos produtos sobre como manipular estes itens sem o risco de comprometê-los.


Entenda as regras para veículos e equipamentos de refrigeração

E é claro que, quando falamos da legislação para transporte refrigerado, precisamos lembrar que o conjunto de regras não diz respeito somente às condições de resfriamento dos produtos, mas trata também das condições do veículo, do baú refrigerado e ainda do equipamento de refrigeração. Os baús refrigerados direcionados para o transporte de alimentos perecíveis, por exemplo, devem apresentar superfície interna feita de material liso, resistente, impermeável, atóxico e lavável. Também são obrigados a ter controle de temperatura, com termômetro calibrado, além de estrados, prateleiras, caixas e ganchos removíveis. Lembrando que todas essas normas possuem um objetivo simples: facilitar a limpeza e a desinfecção do baú. Isso porque a refrigeração do interior do veículo sempre deve ser realizada depois da higienização adequada para o tipo de alimento transportado e antes do carregamento, para amenizar as variações de temperatura e garantir o bom funcionamento do conjunto. A portaria da Anvisa determina ainda que o correto armazenamento em todas as etapas do transporte é fundamental para garantir a qualidade dos alimentos, não podendo apresentar qualquer possibilidade de contaminação ou deterioração dos produtos, nem variações extremas da temperatura interna. Em outras palavras, para fazer o transporte de perecíveis, o veículo deve estar em perfeito estado de conservação e higiene. Isso quer dizer que é função da transportadora garantir que os seus processos de desinfecção estejam adequados às particularidades dos produtos transportados por ela, evitando assim a contaminação de cargas por meio de microrganismos que permaneceram no veículo após um frete anterior, por exemplo. Nesse contexto, a escolha dos melhores materiais não só faz a diferença, como é um requisito básico. É por isso que a Frigo King oferece linhas completas de alto padrão que, além de garantirem a temperatura correta durante todo o percurso, também contam com opções de controle remoto para facilitar o acompanhamento, em tempo real, das condições do baú refrigerado. Com os equipamentos de tecnologia superior da Frigo King, fazer o controle da sua carga e ficar em dia com a legislação nunca foi tão fácil. Visite nosso site, conheça nossas linhas de produtos e, se ficar com alguma dúvida sobre as regras para o transporte refrigerado, entre em contato com a nossa equipe ou deixe seu comentário no espaço abaixo! Estamos sempre prontos para atender você.

Comments


bottom of page